Avançar para o conteúdo principal

Eu bem digo que cães e crianças pequenas é (quaaaase) a mesma coisa #2



Imaginem o seguinte cenário:

Chego a casa do namorado e o cão dele vem-me receber à porta. Senta-se para eu lhe fazer as festinhas habituais e em segundos está deitado no chão, de barriga para cima, para lhe fazer festinhas na barriga, e eu assim o faço. Nada de estranho até aqui. A seguir, só tenho tempo de sentir um líquido quente a escorrer-me pela cara e camisola...

Não se riam... Sim! O cão do meu namorado urinou-me para a cara enquanto lhe fazia festinhas.

Onde é que eu já ouvi isto... Hmmm... Já sei! Bebés que se lembram de soltar as águas enquanto os pais lhes mudam as fraldas. Eu bem digo que há uma grande semelhança entre cães e bebés.

Comentários

  1. Ahahahah! Estava-lhe a saber tão bem as festinhas que relaxou demais!
    https://jusajublog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Eu bem digo que ter cães e crianças pequenas é (quaaaase) a mesma coisa

Confesso-me: sou uma "mãe" galinha em relação ao meu cão. 
Sabem aqueles pais (sobretudo mães) que quando vão levar os filhos ao infantário/creche nas primeiras vezes, depois de os deixarem, mal viram costas já estão com a lágrima no olho?... Eu ainda não estou ao nível de ficar de lágrima no olho mas quando tenho de sair de casa e deixar o cão sozinho, sem ninguém em casa, fecho a porta e não consigo olhar para trás e ver a cara dele a olhar para mim. Já aconteceu ele aperceber-se que eu ia sair de casa e correr para a varanda para me ver a entrar no carro e fazer-me à vida e digo-vos: foi de partir o coração! Eu estar a sair da rua, espreitar pelo espelho retrovisor e vê-lo ali, sozinho, a seguir o percurso do carro com aqueles olhinhos tristes... Também já aconteceu algumas vezes eu sair, fechar a porta e ficar uns minutos colada à porta a ouvi-lo a chorar do lado de dentro (só não a abri a porta e o meti no carro comigo porque no trabalho ainda não é permitido levar ani…

Insiste para ver se persiste

Li algures, há uns tempos atrás, que uma atividade/rotina nova demora 21 dias até se tornar verdadeiramente num hábito. Faz hoje 21 dias que recomecei a correr e embora não tenha corrido 21 dias consecutivos, acho que pensei na corrida todos os dias (mesmo nos dias em que não corri, as dores musculares estavam lá para me lembrar. Isso também conta, certo?). Hoje é dia de correr (e fazer um bocado de workout para queimar os doces que comi ontem. E no Sábado. E na sexta-feira...). Vamos lá dar corda às sapatilhas que o Verão (e o casamento) estão ai ao virar da esquina.

Objeto de desejo da semana

Tommy Hilfiger

Instagram

Blogs que leio