Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2016

Halloween

Por estes lados está-se a ultimar os preparativos para a noite mais assustadora do ano. Bendita irmã que eu tenho que é muito prendada e me faz as pinturas faciais sem eu precisar de sair de casa (liguei para a uma loja de cosmética/beauty muito conhecida de todas, de um centro comercial perto de minha casa para ver se faziam esse serviço e era por ordem de chegada e isso para mim não dá. Lido mal com situações onde não controlo as horas). Por isso é mesmo a minha irmã que vai tratar de tudo: maquilhagem e cabelo.
Para quem está a ler isto e não se identifica nada com esta festa, para quem até acha mal que nós Portugueses nos apropriemos de uma festividade que não é nossa deixem-me que vos diga que também eu já estive desse lado. Que também eu não ligava nada e achava até um pouco estúpido festejarmos o Halloween, uma espécie de Carnaval em Novembro (às vezes ainda continuo a achar mas pronto...). Se encontrarem um grupo animado de pessoas, que apenas usa o Halloween como pretexto pa…

Quando se faz o que se gosta é mais fácil continuar o caminho

E de repente, a segunda-feira começou colorida. Abrir o e-mail e ter lá uma boa notícia deixou-me cheia de energia. Saber que o nosso trabalho e dedicação são reconhecidos e trazem os seus frutos, contrariar o desânimo que às vezes se instala pela falta de trabalho em algumas alturas do ano é uma sensação incrível. Saber que há uma grande probabilidade de voltar a poder fazer aquilo que mais prazer me deu até hoje a nível profissional é uma sensação do caraças!

E eu que não gostava do mês de Outubro, este está a ser particularmente interessante. Quase que peço para que ele não acabe já. Por enquanto é cruzar os dedos e ficar à espera de saber mais pormenores, mas pelo menos há alguma coisa em cima da mesa. 
Boa semana para todos!

Luxos de sexta-feira de manhã

Acordar tranquilamente, sem despertador, sem pequeno-almoço com minutos contados, sem hora marcada para sair de casa. Acordar e só depois decidir o que fazer, sem pressas, com um dia solarengo lá fora e com uma saída de amigas combinada para o meio da tarde. Adoro a sexta-feira. Agora vou só ali até à cozinha preparar o pequeno-almoço nas calmas enquanto vejo as notícias do dia.
Boa sexta-feira.

Parece que agora é obrigatório ter uma saia plissada (correndo o sério risco de sermos considerados démodé se não tivermos uma)

Já esbarrei em tanta saia plissada por esses lojas  fora que começo a achar piada a esta peça e a pensar seriamente em comprar uma para mim. São saias plissadas em veludo, saias plissadas metalizadas, saias plissadas em lã, mais curtas, mais compridas, de uma só cor, de várias cores, de seda ou de tecidos manhosos, há para todos os gostos.  Tenho visto algumas combinações bastante interessantes com esta peça e começo seriamente a pensar com carinho na ideia de ter uma. Eu, contrariamente à minha irmã que sempre adorou este tipo de saias, era um bocado aversa a esta peça. Mas tal como nos ensina o ditado "nunca digas nunca" porque um dia esse "nunca" acontece. Lição que tiro daqui: ir às lojas faz mal, não só à carteira mas também às nossas convicções.







Gosto particularmente de ver estas saias combinadas com camisolas grossas (de malha/lã), com casacos compridos, com sapatilhas ou com uns stiletto.

Objeto de desejo da semana

Apercebi-me, enquanto espreitava o site da Zara, que não tenho nenhuns botins vermelhos... E agora que me apercebi disso, fiquei com a ideia de que "preciso" de uns botins desta cor...

Devo ter batido com a cabeça e não me lembro

Não sei o que se passa comigo mas eu que nunca achei piada nenhuma ao Hallowen, eu que até ao ano passado nunca tinha festejado o Hallowen (não me lembro se quando andava na escola primária se dava importância a esta data) dou por mim este ano a procurar máscaras nas lojas e ideias na Internet. Este ano tenho novamente um jantar de Hallowen com as mesmas pessoas do ano passado e como há um ano a coisa até teve piada, este ano estou assim para o entusiasmada (vá, não é assim um entusiasmo tão grande, é mais um agrado, um gozo).

Assumo: sou uma perdida

Eu, pessoa que não tem casa própria, que mora com os pais, que tem todas as divisões da casa mobiladas/decoradas (com o sótão cheio de tralha e a garagem também) tenho uma compulsão por lojas de decoração. Em particular por uma loja sueca, com preços super acessíveis, com coisas para todas as divisões da casa, para todos os gostos e para todas as carteiras. Sim, essa mesma! Essa loja do demónio que dá pelo nome de Ikea!  Uma pessoa entra lá sem precisar de nada e sai sempre de lá com qualquer coisa. Este mês entrei lá apenas duas vezes e sai de lá com uma prateleira nova para o meu quarto, um candeeiro para a secretária, caixas de arrumos, um separador para gavetão (para pôr a maquilhagem toda organizada) e mais uns potes para pôr coisas (no geral!). E quando entrei lá não precisava de nada. E eu não tenho casa própria. Nem estou em processo de mudança de casa para me perder por lojas destas. E juro-vos que tive de me controlar mesmo muito para não trazer mais coisas. É que eu tenho …

Loção Suavizante Optimals Body - Óleo de Abacate (Oriflame)

Já é certo e sabido que para a maioria das pessoas o Outono/Inverno significa desleixo no que toca a a cremes de corpo. O frio aliado à preguiça para esperar que o creme seque antes de enfiarmos a roupa no corpo quase sempre vencem (pelo menos a mim, confesso!). Por isso, quando encontro um creme que cumpre a sua função de manter a pele hidratada e macia, que tem um cheiro apetecível e que ainda por cima é de rápida absorção é motivo para partilhar a informação com o restante mulherio. Afinal de contas, há dramas pelos quais todas passamos por isso mais vale partilhar estas pequenas preciosidades. Este é da Oriflame e já estou a usá-lo há duas semanas (e por incrível que pareça ainda só falhei dois ou três dias. Também não queiram milagres: o creme é de rápida absorção mas a minha preguiça bate forte algumas vezes!). 

How to get away with murder

Depois de terminar a segunda temporada de Narcos tive novamente aquela sensação de "órfã de séries". Uma pessoa apega-se a uma série brilhante e quando acaba fica sempre aquela sensação de "não vou encontrar nenhuma série tão boa". Depois de muita pesquisa e de algum debate com o namorado lá encontramos uma que agradasse aos dois para ver nos dias de muita chuva ou de preguiça em sair de casa. E foi fácil ficarmos viciados nesta série. Hoje provavelmente acabamos de ver a primeira temporada porque estamos num ponto da série em que é impossível parar. Fica aqui a dica para quem andar à procura de uma boa série.  Esta anda à volta de uma advogada de sucesso que é igualmente professora de direito e que escolhe cinco estudantes, os melhores da turma, para a acompanharem nos processos que ela tem em tribunal. Para além das cenas nos tribunais, há ainda muitas histórias paralelas de envolvimento amoroso e sexual entre as várias personagens e um homicídio à mistura. É, e…

Já não tenho idade para noitadas

Ontem fiquei em frente ao computador até as 4:30h da manhã a preparar umas coisas, adormeci por volta das 5h e hoje levantei-me às 9h. Andei a manhã toda de um lado para o outro a tratar daquelas coisinhas pequenas mas que acabam por demorar (ir ao sapateiro, ao banco, ao supermercado,...). Escusado será dizer que depois da noite de ontem, hoje andei o dia todo a arrastar-me, cabeça pesada, sono (muito sono!), sem paciência para nada e a pensar que já não tenho idade para grandes noitadas, o corpo já não responde da mesma forma como respondia à dez anos atrás... Que me sirva de lição sempre que quiser dar uma de rebelde e ficar noite dentro a inventar coisas, no dia seguinte isso paga-se...e caro!

Esta mulher esbanja elegância

Este mulher esfrega na cara das magras e das top-models desta vida que elegância não tem a ver com peso ou corpos bem feitos mas sim em saber escolher bons cortes, bons materiais  e vestidos que assentem bem no nosso tipo de corpo (ter uma carteira recheada também ajuda...). Era capaz de dar o dedo mindinho por este Versace que a Michele Obama usou ontem no último jantar de estado na Casa Branca. Adoro, adoro, adoro!

Quase quase a rebentar

Ontem, depois do trabalho e no regresso a casa passei por uma situação aflitiva, fisiologicamente falando. Do trabalho (das terças-feiras) até casa são cerca de 50 minutos de carro. Ainda fiz um pequeno desvio para ir buscar a minha irmã à universidade mas isso são só mais 5 minutinhos, nada de substancial. Saiu eu do trabalho e pus-me automaticamente a caminho de casa. Estava a conduzir à coisa de 5/10 minutos e comecei a pensar que se calhar devia ter ido à casa-de-banho antes de sair do trabalho. Aquela garrafinha de água que fui bebendo lentamente ao longo da tarde começou a acumular-se. Tentei não pensar nisso e fui entretida a maior parte do tempo com outras coisas na cabeça, até ir buscar à minha irmã à universidade. Ao chegar perto da universidade, trânsito, pára-arranca, pára-arranca, chuva a cair, água por todo o lado e eu começo novamente a pensar (e a sofrer!) numa casa-de-banho e a vontade de libertar águas começa a ser mais do que muita. Quando a minha irmã entra no car…

Obras em casa

Ter obras em casa é ter o chão coberto de panos há mais de uma semana, à espera que os senhores das obras venham e eles nunca mais aparecerem. Vieram cá uma primeira vez ver o que era, escavacar a casa-de-banho (a que fica dentro do meu quarto!), ver quais as paredes que são para pintar e dar um orçamento. Disseram que voltavam no início da semana seguinte e até agora nada. A modos que estou deste a segunda-feira da semana passada com parte da casa pouco funcional porque os senhores dizem sempre que "amanhã vamos!" mas o amanhã para eles nunca acontece. 
Tenho a minha casa-de-banho sem bidé, com um buraco no chão e na parede e já esteve pior... já esteve sem porta. O meu pai, homem extremamente habilidoso e dado às bricolages é que já voltou a pôr a porta no sítio para, pelo menos, fechar toda aquela bagunça. Ando tipo em versão férias (mas não no bom sentido) dentro da minha própria casa, com as minhas tralhas todas arrumadas em necessaires na casa de banho que é usada pel…

Parfois a dar cartas na roupa

Eu que nunca prestei muita atenção à secção de roupa da marca Parfois, dei por mim no site a babar por este macacão. Para quem gosta de veludos, este macacão toca no coração. Ideal até para uma ocasião mais sofisticada ou então só para o dia-a-dia com um calçado mais desportivo. Vou passar a prestar mais atenção à roupa da Parfois na próxima vez que entrar numa loja da marca. Eu que só lá entrava por causa da bijutaria e das malas.


Imagens retiradas do site Parfois

Inferno

Aqui está o exemplo do que é um livro bem adaptado ao cinema. Já tinha lido o livro o ano passado e adorei (aliás, como quase todos do Dan Brown) e por isso queria muito ver como ia ser o filme. Já estava com saudades de ver o professor Langdon em ação.
No geral o filme é fiel ao livro com uma grande excepção em relação ao vírus. Mas não vou estar aqui a desvendar pormenores da história. Isso deixo para quem for ver. Só dizer-vos que vale muito a pena irem ver este filme ao cinema, e maravilharem-se com as paisagens de Florença. Passei grande parte do filme a relembrar os sítios por onde andei quando fui a Florença o ano passado. O jardim Boboli, a catedral de Santa Maria del Fiore, o Palazzo Vecchio, a Piazza della Signoria, a Ponte Vecchio (os gelados maravilhosos!) e outros tantos espaços.

E sem estarem a contar, acabam por fazer uma viagem na vossa própria memória das viagens numa simples ida ao cinema.

Esta semana estamos assim #62

Numa cor que até então nunca me tinha chamado a atenção, mas que na unha resulta muito bem. Adorei o resultado final.

Vergonha alheia

Vergonha alheia foi o que eu senti esta semana quando estava a dinamizar uma dinâmica de grupo numa turma de adultos, que tinha como objetivo a apresentação dos formandos e eis que uma das formandas se vira para uma outra e assim do nada lhe pergunta:
Formanda 1: Está grávida de quanto tempo? Formanda 2: Como? Formanda 1: De quantos meses é que está grávida? Formanda 2 (estupfata com a pergunta...): Eu não estou grávida...
[silêncio]
Pois... a formanda (2) só tem a barriga grande (bastante grande) mas não está grávida. A formanda (2) já tem uma idade na qual já não é costume as mulheres engravidarem e mesmo assim, logo num primeiro contacto a outra perguntou-lhe de quantos meses é que estava grávida...
É por estes e por outras que eu raramente faço este tipo de perguntas às pessoas. Ou a barriga é uma coisa muito óbvia e percebe-se logo que é uma gravidez ou então não digo nada.

A perfeição existe

Chama-se Éclair de Outono e mora na Leitaria Quinta do Paço. Então eu passo a explicar: é um éclair com recheio de Nutella (e só aqui eu já estava convencida), com cobertura de creme de chocolate branco (que me sabe exactamente ao mesmo do recheio do Kinder Bueno. Vénia para este creme.), com pedaços de chocolate crocante, um mini profiterole recheado com chantilly, maltesers e um quadrado de chocolate negro. Provei esta maravilha no fim-de-semana e desde então não me sai da cabeça. Quem precisar de companhia para ir provar, eu faço o sacrifício de acompanhar as pessoas até lá e provar novamente. Não se apoquentem, eu faço o sacrifício por este bem maior que é dar a conhecer ao mundo o exemplo da perfeição.

Chegou o Outono

Eu sei que no calendário o Outono já começou à algum tempo, mas para mim, lá no meu íntimo, o Outono só começou hoje. O que por um lado é estranho porque, lá no meu íntimo, o Verão já tinha acabado há muito tempo. Estava assim numa espécie de estação desconhecida em que o tempo já não é de Verão mas ainda é bom demais para já ser Outono. Mas hoje chegou o frio, o dia cinzento e... a chuva! Entramos efetivamente no Outono. Até hoje era uma espécie de limbo, uma cena diferente. A partir de hoje é oficial: chegou o Outono. Já não dá mais para andar de sandálias, blusas fresquinhas e tecidos leves. Já não dá para sair de casa sem um casaco e pensar se será preciso o guarda-chuva. Já sabe bem uma mantinha enquanto estamos no sofá.

Passo a explicar

Povo que gosta de parar aleatoriamente na rua, sobretudo nos centros históricos das cidades, de mãos atrás das costas, a apreciar as vistas, lembrem-se de uma coisa: se vocês estão em modo passeio não pensem que todas as outras pessoas também o estão!  Parar em frente a uma passadeira, de mãos atrás das costas, como se estivessem à espera de passar para o outro lado, esperar que os carros parem e só depois de algum tempo perceberem que pararam para vocês atravessarem a estrada (coisa que efetivamente não é vossa vontade!) e dizerem que não querem passar, para os carros avançarem não é uma coisa muito prática. Ontem aconteceu-me isso... duas vezes! Num curto espaço de tempo, a passar no centro de Guimarães, parei o carro duas vezes na passadeira a achar que a pessoa que lá estava parada queria passar mas afinal só estava a olhar para o boneco! Depois queixam-se que os automobilistas não param nas passadeiras. Paciência tem limite! Esclarecidos, minha gente?

Serei só eu?

Normalizem a minha existência e digam-me que eu não estou sozinha neste sentimento...
Boa semana.

Viajar é ficar mais rica

Estava aqui a ver a lista dos dez museus mais visitados do mundo no ano de 2015 e de todos, já visitei seis. Não está mal para quem ainda não foi além da Europa.

A rapariga no comboio

Na quinta-feira estreou nas salas de cinema o filme "A rapariga no comboio". Baseado no livro que tanto sururu causou este ano, estava toda a gente curiosa para ir ver. Eu, que li o livro, não era excepção e ontem lá fui.

O filme é bastante fiel ao livro (óbvio que salta algumas partes. como acontece com todos os filmes que são baseados em filmes) salvo um ou outro pormenor que não afecta em nada a história (como é exemplo a nacionalidade do psicólogo). Para quem não leu o livro o início pode ser um bocado confuso. Fui com um gripo de amigos que não tinham lido o livro e ao intervalo os comentários eram "não estou a perceber nada...", "que confusão!" mas no final, depois de tudo revelado e de todas as conexões feitas, todos gostaram.
Fica a sugestão para o fim de semana ;)

Memórias gustativas

Vamos lá fazer um ponto prévio antes de irmos ao assunto principal: sou completamente viciada em chocolate! Tudo o que tem chocolate marcha (com excepção para chocolate com sabor a mentol). Até os famosos bombons com licor dentro (que não gosto) acabo por comer, num ritual trabalhoso (toca a abrir o bombom, esperar pacientemente até escorrer todo o licor, tirar a cereja e só depois comer) mas que no final vale a pena. Não sou esquisita em relação a chocolate e até aqueles chocolates de marca branca que muitos dizem que não valem nada eu como-os com a maior satisfação. Até o chocolate de culinária marcha quando não há mais nada. Posto isto já estão capazes de perceber o que se segue daqui para a frente.
Outro dia estava eu já na cama pronta para dormir e eis que me lembrei de chocolate. E pronto, estava o caldo entornado, eu sabia-o. Uma vez que a ideia aparece instala-se facilmente e depois é uma consumição. Não adianta contrariar a ideia. Comecei a pensar no que havia por casa e com…

Panca, é o que é

Mas detesto sair de casa sem um anel.  Detesto quando me esqueço de sair de casa sem anel e só dar conta na rua.
É como se faltasse ali qualquer coisa... Se saio de casa sem um anel passo o tempo todo a olhar para o dedo. É isso e o relógio.

Lema para hoje

Help

Tenho um casamento daqui a um mês e ainda não tenho roupa, acessórios, sapatos... nada! Isso não seria grave se já tivesse uma ideia do que quero mas o problema está ai: não sei! Não faço a mínima ideia do que levar a um casamento em Novembro, num espaço à beira rio, ao meio-dia!  Se num dia penso em levar um vestido, no outro penso que se calhar é melhor ir mais agasalhada e pensar numas calças com um belo top todo tchanan. No dia seguinte já acho que calças para um casamento não mas um macacão já é boa ideia e é igualmente aconchegado (mas depois penso no último casamento que fui em Maio, com um macacão e que passei tanto frio que mais parecia que tinha ido a um casamento aos Alpes Suíços com roupa de quem vai passar férias de Verão para a Polinésia Francesa). Depois penso nos inúmeros vestidos que tenho aqui por casa para tentar rentabilizar o que já tenho mas parece-me tudo muito fresco e airoso para Novembro. E é isto, ando tão baralhada das ideias que dou por mim nos sites das …

Afinal o Outubro pode ser colorido

Não gosto do mês de Outubro, nunca gostei... É o mês em que dizemos definitivamente adeus ao sol quente, o mês em que muda a hora, o mês em que não sabemos que roupa vestir porque de manhã está frio, durante o dia um calor de ananases e à noite gelo, o mês em que os dias já são curtos, as noites frias e as árvores ficam como galinhas depenadas sem folha nenhuma! Mas este ano o início de Outubro foi bom, foi exageradamente bom. Sem que eu estivesse a contar, aquela amiga do coração que me conhece quase desde sempre mas que está a morar em Paris tocou-me à campainha e apareceu-me à porta! E eu... bem, eu fiquei estacada, sem reacção. É que isto da idade também nos torna mais lentas nas reacções e com a vista afectada (não sei porquê mas os tramados dos olhos agora ficam lacrimejosos com facilidade). Tinha falado com ela no dia anterior e era suposto ela estar em Paris. Era suposto só a ver no final do ano. Era suposto ela neste fim-de-semana estar a desfazer as malas depois de três mes…

Perguntas estúpidas

Quando vou mais o namorado passear com o cão para jardins ou parques mais frequentados, regra geral acabamos por interagir com outras pessoas que também andam por ali a passear os seus animais.  Conversa de circunstância geralmente sobre os próprios dos animais e que acaba ao fim de três ou quatro perguntas. Ontem, enquanto passeava o Tyrion ele decidiu interagir com um Pugg. Enquanto "o bucha e o estica" se cheiravam um ao outro numa dança tão típica entre cães que eu já nem ligo surge a tal conversa de circunstância e o dono do Pugg lá me pergunta se era macho ou fêmea, que idade tinha e como se chamava. Lá lhe respondi e quando disse que se chamava Tyrion (que por acaso até está escrito na trela em letras bem grandes) o senhor diz "Tyrion? Porque esse nome? Porque é que se chama Tyrion?"... Naquele momento uma série de respostas estúpidas e sarcásticas surgiram na minha cabeça para lhe dar mas depois lá lhe dei uma pequena lição sobre séries televisivas e suas …

Instagram

Blogs que leio